A pegada digital é incontornável, e já nem nos conseguimos imaginar num mundo dominado pelo papel, como acontecia há alguns anos. A nossa vida digital – profissional e pessoal – é cada vez mais valiosa, até porque existem inúmeros conteúdos digitais que não estão duplicados em mais nenhum suporte. Neste contexto, a segurança destes conteúdos deveria ser uma preocupação prioritária para toda a gente, mas não é. Porquê? Porque a maior parte dos utilizadores é estranhamente descontraído face a este tópico.

As pessoas estão conscientes de que é bastante fácil perderem todas as suas fotos, vídeos, documentos, registos de áudio ou mensagens, e percebem que na maioria das vezes esta perda é irreparável, mas a segurança dos conteúdos só tende a transformar-se num assunto importante quando existe um problema mais grave.

A verdade é que não há desculpas para não proteger convenientemente toda a sua informação. Existem inúmeros serviços de armazenamento cloud disponíveis, muitos deles gratuitos, e centenas de opções de armazenamento à disposição. Só é preciso vontade, organização, e uma boa política pessoal de backup. E agora que muita gente está de quarentena em casa, é uma boa oportunidade para começar!

Quase todos os serviços têm opções para particulares e empresas. Deixamos aqui algumas opções focadas numa utilização pessoal.

Clique nas imagens para ver mais detalhes

Qual a melhor opção para garantir o backup da sua vida digital: cloud ou armazenamento local? Na verdade não há uma resposta certa para esta questão. Ambas as opções possuem vantagens e desvantagens associadas. Ou seja, a escolha deve ter em conta os seus objetivos e estilo de vida.

Cloud

Backup na cloud não é a mesma coisa que sincronização para a cloud. Os serviços de backup estão centrados numa solução que assegura a cópia automática de ficheiros, aplicações, máquinas virtuais ou servidores (de acordo com o plano estabelecido – diária, incremental, etc); a sua encriptação e armazenamento seguro; e o acesso a um sistema de recuperação de desastres.

A sincronização para a cloud é o modelo mais popular. Serviços como a Dropbox, Google Drive, iCloud ou OneDrive permitem a sincronização de ficheiros, e acabam por funcionar como opção privilegiada para backup de fotos, vídeos e documentos. No entanto, em caso de acidente, se tiver de repor a informação, terá apenas acesso aos dados sincronizados no momento.

Os ficheiros apagados, ou anteriores à última sincronização não serão repostos. Neste caso, é importante garantir que os serviços são usados como local de armazenamento e não apenas como destino de sincronização. São bastante simples de utilizar e importantes para a proteção da informação.

Ambas as opções oferecem alguns prós e contras:

  • Uma das grandes vantagens é que o utilizador pode aceder aos conteúdos em tempo-real através de qualquer equipamento com acesso à internet.
  • Esta solução permite a manutenção dos dados num local seguro contra ciberataques e desastres naturais. No entanto, está vulnerável a qualquer pessoa que conheça as credenciais de acesso. É importante que estes serviços tenham palavras-passe fortes.
  • Dependendo do volume de dados, a criação de um backup completo para a cloud pode ser um processo demorado.
  • É importante garantir que os dados estão acessíveis e atualizados no momento do backup. Caso contrário, poderá realizar o backup de dados desatualizados ou corrompidos.

O investimento neste tipo de serviços é fácil de apurar. A empresa ou utilizador paga um fee mensal ou anual, e não tem de efetuar qualquer outro investimento. Existem serviços gratuitos, mas estes possuem restrições em termos de capacidade de armazenamento e de funcionalidades.

Backup local

Os backups locais são os menos “modernos” e os mais conhecidos de todos. Pode escolher um disco (interno, externo, de rede, etc), uma pen, um CD ou DVD. O importante é que siga algumas regras importantes:

  • Nunca faça backup no disco onde tem o sistema operativo instalado. Se fizer muita questão de manter o backup no computador que utiliza diariamente, opte por uma partição diferente.
  • Não coloque o backup no PC que utiliza diariamente. Este está mais vulnerável a erros, ataques e outros problemas que podem comprometer o disco.
  • Faça mais do que um backup. Fez uma cópia de segurança das fotos dos seus filhos, desde o nascimento? Perfeito! E se esse disco se avariar? Se os conteúdos que pretende proteger são insubstituíveis, faça um backup do backup.
  • Guarde o seu backup noutro local. Por regra, guardamos os discos e pens com os backups em casa. E se houver um incêndio, uma inundação ou um assalto? Se colocar o disco de backup noutro local garante uma proteção extra dos conteúdos mais importantes para si.
  • Um backup ocasional é melhor que nada, mas atualmente produzirmos novos conteúdos digitais a um ritmo estonteante. Basta um fim de semana para termos centenas de novas fotos, vídeos, mensagens - memórias que queremos guardar para sempre. Assegure-se que faz backups regulares, para não perder nenhuma informação.

O investimento num sistema de backup local varia bastante de acordo com o tipo de serviço pretendido. No caso mais simples, só terá o custo do suporte de armazenamento e do consumo energético, por exemplo. Se optar por um serviço avançado, tem de somar os custos de manutenção, upgrade, testes de integridade, monitorização e restauro, em caso de incidente.

Independentemente da opção que escolher, o importante é colocar a segurança da sua vida digital como uma prioridade. Os azares não acontecem só aos outros, e a perda de dados pode não só comprometer a sua vida profissional, como também eliminar anos de memórias insubstituíveis.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.