De acordo com uma nota de imprensa que à Angop teve hoje acesso os primeiros testes dos Cansats, para melhor preparação do lançamento dos  pequenos satélites produzidos pelos especialistas de várias universidades angolanas foram feitos com sucesso no dia 11 deste mês.

Refere ainda que os resultados dos testes realizados no local do lançamento dos Cansats  mostraram que os pequenos satélites devem ser lançados a uma altitude máxima de 400 metros, com uma velocidade de vento não superior a 14km/h, a fim de estimar uma posição precisa de recolha dos pequenos satélites mediante as coordenadas GPS para uma melhor comunicação com a estação terrena.

Esclarece a nota que o curso de construção e lançamento de pequenos satélites tem como objectivo principal a transferência de conhecimentos teóricos e práticos para a academia nacional sobre Ciência e Tecnologia Espacial.

Engloba questões como o porquê da exploração espacial, generalidades sobre pequenos satélites, desenho de uma missão de satélite, o Cansat angolano, práticas de montagem de Cansat, testes, lançamento, recolha e análise dos dados.

A formação contou com a participação de mais de 126 formandos de cerca de 26 instituições de ensino superior de Angola, provenientes de várias províncias do País, entre elas, Luanda, Cabinda, Lunda-Sul, Lunda Norte e Malange.

O curso teve a duração de quase um mês. Arrancou no dia 17 de Maio e encerrou no dia 14 de Junho de 2019.

Os testes de lançamento ocorreram em Cabo Lebo e envolveram, dentre outras entidades, a Força Aérea Nacional (FAN) que disponibilizou um helicóptero para a operação.

O lançamento do Cansat está enquadrado no Fórum e Exposição Internacional de Tecnologias de Informação "Angotic", que o Ministério das Telecomunicações e Tecnologias de Informação organiza de 18 a 20 de Junho no Centro de Convenções de Talatona (CCTA), lê-se na nota.

O " Cansat" é a representação de um satélite real num volume de lata de refrigerante de 330 ml, criado pelo Gabinete de Gestão do Programa Espacial Nacional (GGPEN) afecto ao Ministério das Telecomunicações e Tecnologias de Informação com o concurso do Departamento de Ciências Espaciais e Pesquisa Aplicada (DCEPA) em cooperação com a comunidade académica angolana.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.