A 9 de agosto de 1975 a ESA lançava o Cos-B, assinalando a estreia da agência europeia nos meandros da exploração espacial.

À boleia de um veículo de lançamento Thor Delta 2913, que partiu das instalações da NASA na Califórnia, o Cos-B tinha como único objetivo estudar fontes de raios gama.

Mais precisamente, estava destinado a mapear o céu, em particular a Via Láctea, à luz dos raios gama com energia superior a 30 MeV. “Tais raios gama podem ser produzidos por raios cósmicos (protões e eletrões relativísticos), interagindo com o meio interestelar, a luz das estrelas e os campos magnéticos”, explica Brian Taylor, ex-investigador do projeto, citado pela ESA.

Observatório de raios gama
Observatório de raios gama créditos: ESA

O Cos-B tinha integrado um único instrumento de análise, concebido em meados da década de 1960 e aprovado pela European Space Research Organisation (ESRO) em 1969. Isso diferenciava-o daquilo que acontecia na altura, já que os primeiros satélites da ESRO carregavam, normalmente, sete instrumentos separados.

A fase de desenvolvimento principal do satélite começou em fevereiro de 1972. O instrumento de análise de raios gama foi projetado e construído por um consórcio de cinco institutos da Alemanha, Holanda, França e Itália.

O Cos-B foi projetado com um tempo de vida útil estimado de dois anos, mas na verdade funcionou por mais quatro, mais especificamente por seis anos e oito meses. Foi desligado a 25 de abril de 1982.

Lançamento do Cos-B
Lançamento do Cos-B créditos: ESA

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.