Cerca de 88% dos pais portugueses, ou seja, um em cada três, entre os 18-34 anos, cederam à pressão social de comprar e gastar mais dinheiro com os filhos do que realmente podem pagar, número que a nível europeu chega aos 96%.

O novo estudo European Consumer Payment Report 2017, feito pela Intrum Justitia, recolheu dados de 24 mil consumidores espalhados por 24 países europeus. O relatório entrevistou 1009 portugueses, dos quais 56% culpam as redes sociais por quase se sentirem obrigados a consumir, contra 39% dos restantes pais europeus.

Na hora de comprar, mais de um quarto dos portugueses (26%) não vê qualquer problema em recorrer a créditos, um número que no ano passado se ficava nos 19%, mas menor que a média de 31% verificada na Europa.

Para Luís Salvaterra, diretor geral da Intrum Justitia, “este estudo mostra como diferentes grupos de pessoas estão expostos a uma pressão social que pode resultar em dívidas de longo prazo”, sendo necessário “fazer mais para criar confiança e ensinar as novas gerações a consumir de modo equilibrado".

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.