Em tempos de isolamento social devido à pandemia de COVID-19, as plataformas e aplicações de videoconferências tornaram-se em ferramentas essenciais para quem está a trabalhar ou estudar em casa. Para não “perder terreno” em relação ao Zoom, à Microsoft Teams ou até à Google Meet, o Facebook lançou o Messenger Rooms. Depois de ter feito a sua estreia em alguns países selecionados, a nova funcionalidade chega agora a todo o mundo.

O Messenger Rooms disponibiliza salas para reuniões virtuais sem tempo limite até 50 utilizadores. A funcionalidade permite convidar qualquer pessoa para assistir à chamada, mesmo que não tenha uma conta no Facebook.

No caso de webinars ou sessões públicas, os utilizadores podem promover as salas de videoconferência através do Feed de notícias ou em Grupos e Eventos. A mesma funcionalidade será depois aplicada às restantes aplicações da empresa, como o Instagram Direct, o WhatsApp e a Portal.

O Facebook refere que não é preciso fazer o download de uma aplicação adicional para aceder ao Messenger Rooms, sendo possível criar salas para conversas através do smartphone ou do computador. No caso da aplicação do Messenger, os utilizadores podem ainda adicionar diferentes efeitos de realidade aumentada, participar “mascarados”, assim como adicionar fundos ou diferentes iluminações.

No que toca à moderação, os utilizadores poderão definir quem é que pode participar numa reunião. Se necessário, pode remover participantes ou “trancar” a sala para que mais ninguém possa entrar, além de outras ferramentas focadas na privacidade e segurança.

Mas não é tudo, pois o Facebook indica que vão chegar ainda mais novidades ao Messenger Rooms em breve. A empresa liderada por Mark Zuckerberg afirma que continua empenhada em ligar as pessoas e que acredita que as tecnologias de videochamadas são uma boa forma de ajudar a preencher o vazio da distância em tempos de pandemia.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.