Uma mulher britânica vai ser julgada depois de ter entrado em contacto com uma arguida através do Facebook, enquanto era membro de um júri num caso de tráfico de droga que acabou por ser cancelado, avança a edição online do Sol.

O julgamento está a ser considerado pioneiro no Reino Unido e poderá acabar com uma pena de prisão até dois anos, caso Joanne Fraill seja considerada culpada pelo crime de desobediência ao tribunal.

Em causa está a troca de mensagens entre Joanne Fraill e Jamie Sewart através do Facebook, numa altura em que a primeira fazia parte do júri escolhido para o julgamento da última, relativo a tráfico de droga.

Quando foi conhecida a relação virtual entre as duas mulheres, o juiz decidiu cancelar o julgamento e expulsar o colectivo de jurados, causando um elevado prejuízo à justiça britânica, avança a imprensa local.

O último contacto entre a jurada e a arguida através da rede social aconteceu ainda antes da decisão final do júri.

Além de ser acusada de desobediência, Joanne Fraill é acusada de ter procurado informação sobre os arguidos na Internet, algo que também tinha sido proibido pelo juiz no início do julgamento.

Curiosamente o caso estava a ser julgado por um juiz que tinha autorizado no início do ano a utilização do Twitter nos tribunais, por parte dos jornalistas para relatarem em tempo real os processos.

SOL

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.