A Google e o Facebook terão que cumprir as leis e os regulamentos chineses se quiserem ter acesso aos 751 milhões de utilizadores da internet daquele país, noticia a Reuters.

Outra das condições para entrarem naquele que, de acordo com o Boston Consulting Group, é o país que tem o maior número de utilizadores de internet do mundo, é a de não prejudicarem a segurança nacional chinesa e os interesses dos consumidores nacionais", disse Qi Xiaoxi, diretor-geral do departamento da Cooperação Internacional da Administração do Ciberespaço da China.

No ano passado, o Partido Comunista da China reforçou a regulamentação online, exigindo que as empresas armazenem os dados localmente e que aceitem que estes seja vigiados.

“Defendemos a ideia de que o ciberespaço não é um espaço que não é governado. É preciso administrar, supervisionar e gerir a internet de acordo com a lei”, disse Qi.

Recorde-se que, apesar da Apple operar na China, foi obrigada a retirar algumas das suas apps de VPN na China, uma vez que as VPNs são uma forma de contornar as proibições impostas pelo governo.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.