A demanda foi anunciada na terça-feira pelo American Civil Liberties Union (ACLU), assim como por outro sindicato e uma empresa de direitos dos trabalhadores, representando três candidatas a uma vaga, assim como "milhares" de membros desses sindicatos.

Estes membros acusam o Facebook de se dirigir apenas aos homens nos seus anúncios de emprego. Também garantem que os trabalhos propostos são de âmbito geralmente masculino, excluindo candidatas.

O porta-voz da Facebook, Joe Osborne, afirmou em um comunicado à CNNMoney que não há lugar para discriminação no Facebook.

"Está estritamente proibida nas nossas políticas e, no último ano, reforçamos o nosso sistema para evitar qualquer equívoco", garantiu Osborne.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.