Dois asteroides passaram este fim-de-semana perto da Terra, na madrugada de sábado e domingo, e a NASA cedo garantiu que não havia perigo. Os dois asteroides têm cerca de 120 a 160 metros de diâmetro e outro, um pouco maior, surgiu com um diâmetro que pode ir até 650 metros. Os internautas puderam acompanhar este acontecimento através de uma live e o SAPO TEK compilou algumas das imagens do momento.

Mas quão "perto" da Terra estiveram estes dois asteroides designados por 2010 C01 e 2000 QW7? Como explicou a NASA dias antes, para se considerar que passaram perto da Terra os asteroides e cometas que orbitam o Sol têm de passar a menos de cerca de 48 milhões de quilómetros da Terra. Neste caso, passaram a seis milhões, o que corresponde a 14 vezes a distância que separa o planeta azul da Lua. À primeira vista até parece uma distância razoavelmente longa, mas em escala astronómica é considerada uma passagem à tangente.

A Agência Espacial Norte-Americana tem acompanhado estes dois corpos celestes porque a órbita faz com que passem repetidamente perto da Terra ao longo dos anos. Além disso, colisões de asteroides deste tamanho só acontecem a cada 10 mil a um milhão de anos, explica a NASA.

Mais recentemente, uma equipa de astrónomos descobriu o segundo “visitante” interestelar a passar pelo nosso sistema solar. Designado por C/2019 Q4 (Borisov), o corpo celeste que ainda não foi definido deve viajar a uma velocidade de 150.000 quilómetros por hora, encontrando-se a 420 milhões de quilómetros de distância do sol.

[caption]tek Bisov espaço[/caption]

Já no início de fevereiro deste ano, surgiram notícias sobre uma possibilidade, ainda que bastante reduzida, de um asteroide colidir com a Terra a 9 de setembro. Mas, em julho a Agência Espacial Europeia já tinha "descansado" a população, garantindo que não ia atingir a Terra. E assim foi.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.