Anne McClain da NASA, David Saint-Jacques da Agência Espacial Canadiana e Oleg Kononenko da Roscosmos são os três astronautas que partiram hoje a caminho da Estação Espacial Internacional, a bordo do Soyuz MS-11, para substituir a equipa que está atualmente no espaço. Este novo lançamento dá seguimento à missão de outubro, que finalizou abruptamente com o incidente do Soyuz, devido a erros de funcionamento, poucos minutos depois da descolagem, obrigando à ejeção de emergência da cápsula com o astronauta Nick Hague da NASA e o cosmonauta Alexey Ovchinin da Roscomos.

O insucesso da missão de outubro poderia alterar o calendário da ISS, pois seria necessário investigar a origem dos problemas antes de um novo lançamento. Se a NASA não enviasse nova equipa, os titulares da ISS que tinham previsão regressar à Terra em dezembro, poderiam prolongar até ao limite de janeiro. Mais tempo que isso e a Estação Espacial Internacional ficaria abandonada pela primeira vez, desde que está a funcionar, há quase duas décadas.

Felizmente, o lançamento de hoje vem recompor a agenda, e a equipa atual a bordo da ISS, composta por Alexander Gerst da ESA, Serena Auñón-Chancellor da NASA e Sergey Prokopyev da Roscomos, regressam no dia 20 de dezembro, após estadia desde junho.

A equipa atual marca o “batismo” de voo de dois membros, Anne McClain e David Saint-Jacques, “apadrinhados” pelo experiente Oleg Kononenko da Roscosmos que já é a quarta viagem até à ISS. A nova equipa irá permanecer em missão durante os próximos seis meses e meio.

Segundo a agenda da NASA, a missão arrancou às 10 da manhã (hora de Lisboa), prevendo-se uma viagem de seis horas, perfazendo quatro órbitas à Terra, até fazer a acoplagem na Estação Espacial. Os astronautas terão de esperar cerca de duas horas até à abertura das comportas, até que as duas equipas possam finalmente se cruzar para a passagem do testemunho.

A nova equipa irá continuar a conduzir as centenas de experimentos em biologia, biotecnologia, ciência física e ciência da Terra a bordo da ISS. A NASA está a transmitir a missão em direto, com diversos comentários e complementos.