Três foram detidos pelo SIC Huíla, dos quais um cidadão nigeriano, outro foi preso em Luanda, enquanto o quinto elemento da rede está a ser procurado, de acordo com o porta-voz do SIC na Huíla, Sebastião Vika.

Os acusados provocaram prejuízos avaliados em 12 milhões de kwanzas.

O oficial da corporação  esclareceu que operavam desde o inicio do ano, através de transferências bancárias e de pagamentos electrónicos, usando cartões multicaixas clonados.

Em posse dos detidos foi apreendida uma máquina que permitia a clonagem dos cartões, em Luanda.

Informou que  o SIC na Huíla tem registado, desde Janeiro, nove crimes de subtracção fraudulenta de dinheiro com suporte informático.

Aconselhou os cidadãos para não solicitarem ajuda de pessoas desconhecidas durante operações nos ATM, não cederem os números de conta bancárias e IBAN a terceiros.

No período em análise, O SIC registou igualmente 10 ocorrências de exploração ilícita de recursos mineiras estratégicos na Jamba e Chipindo, envolvendo ouro e negócio fraudulento de mercúrio branco e vermelho,
com a detenção de seis cidadãos nacionais.

Para efeitos legais de exploração dos mineiros, apelou aos cidadãos a organizarem-se em cooperativas e requererem o licenciamento nas autoridades competentes.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.