Ao longo dos anos foram lançadas múltiplas consolas focadas na emulação de jogos clássicos, recorrendo a ROMs. Mas a Analogue Pocket destaca-se das outras ofertas ao ser compatível com os próprios cartuchos do Game Boy da Nintendo, ou seja, mais de 2.780 títulos a correr sem uso de emulação.

O dispositivo é no fundo um multisistema que engloba uma workstation de áudio digital, com um sintetizador e sequenciador, que tem uma ranhura para os cartuchos de todas as versões do Game Boy, incluindo o Color e Advance. E graças a um adaptador pode utilizar também jogos da Game Gear da Sega, Neo Geo Pocket Color, Atari Lynx e outros. Em comparação com o Game Boy, a nova consola tem um LCD com uma resolução de 1600x1440, cerca de 10 vezes mais a consola que lhe serviu de inspiração.

E como referido, o dispositivo contém a workstation de áudio digital Nanoloop, concebido para criar música e até espetáculos ao vivo, através da modelação de sons como pode ver no vídeo. Os entusiastas de chiptunes vão poder produzir música utilizando o chip de som original do Game Boy.

A nova consola foi produzida entre a parceria da britânica Kenyon Weston, um estúdio independente de design, e a Analogue, uma marca responsável por diversos periféricos retro, tais como o comando da Super Nintendo e Sega Mega Drive. A consola tem baterias recarregáveis, é possível ligá-la à televisão através de HDMI e também é compatível com comandos wireless via Bluetooth.

A Analogue Pocket será lançada no próximo ano, por um valor a rondar os 200 dólares.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.