A marcar 21 anos no ramo das telecomunicações, a Multitel promoveu nesta quinta-feira, 30, em Luanda, uma conferência sobre o papel das novas tecnologias nos processos de privatização e atracção de investimento estrangeiro, encontro que contou com a presença de entidades governamentais e figuras do universo corporativo.

Uma criteriosa análise ao cenário angolano, a importância das tecnologias de informação e comunicação, os factores de sucesso e as fases essenciais do processo de atracção de investimento estrangeiro, bem como um momento de comentários e debate, dominaram o certame que contou com intervenções de peso assinadas por Luís Todo Bom, professor e PCA da Multitel, Paulo Trigueiros, CEO da NTT Consulting, e António Geirinhas, director-geral da Multitel.

“As novas tecnologias têm bastante impacto, sobretudo no que diz respeito à atracção que o país tem ou não tem relactivamente ao potencial investidor. Hoje em dia há quem diga que o pior caos que poderia acontecer ao mundo era ficarmos três dias sem comunicação. Portanto, as TIC e a sua qualidade, do ponto de vista do serviço que é dado à toda a envolvente económica, são extremamente críticas. Há claramente países mais atractivos para os consumidores e outros que caminham para aí, felizmente, Angola não é dos piores casos de África. Eu diria, e com base no conteúdo desta conferência, que as TIC não são um constrangimento para Angola no que diz sentido à captação de investimento estrangeiro”, começou por dizer António Geirinhas em entrevista ao SAPO.

António Geirinhas - Multitel

Questionado acerca da forma como define a relação “Investidor/ Entidades Governamentais”, o responsável fez questão de realçar que “esta é uma relação que, no seu entender, não tem sido bem gerida actualmente”, chegando posteriormente a relembrar o caso em torno do polémico concurso para a selecção da quarta operadora de telecomunicações em Angola. “É preciso que as fases do pré-marketing e do road-show sejam muito bem exploradas no âmbito deste processo, pois, garantem um cenário muito mais assegurado”, acrescentou.

Para finalizar, o distinguido empresário não deixou de reafirmar a aposta nas conferências anuais da Multitel.

“Há 6 anos que não temos falhado. É um compromisso que temos assumido, e fazemos questão de fazer coincidir com o nosso aniversário. Felizmente temos nos quadro da empresa pessoas muito capazes, a destacar aqui o vasto conhecimento do professor Luís Todo Bom, que já foi ministro, secretário de estado, e já operou na área do turismo, além de ser engenheiro e ter a tal versatilidade da matemática e da gestão ao mesmo tempo. Aproveitando isto, mantemos a tendência de organizar estas conferências, e claro, garantimos para o próximo ano um regresso com um tema aliciante e à altura das comemorações daqueles que serão os nossos 22 anos”, asseverou.

Conferência Multitel

De referir que o evento, contou também com um discurso de encerramento protagonizado pelo actual Ministro da Economia, que não deixou de engrandecer e aplaudir a iniciativa, bem como prestar todo o contributo ao tema através de algumas ideias e sugestões.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.