Embora o número de projetos de exploração de Marte seja abundante, a chegada de astronautas ao Planeta Vermelho é uma realidade que ainda está distante. No entanto, são já várias as empresas que estão a preparar o futuro da vida em Marte na Terra. Além do projeto EBios da Interstellar Lab, a AI SpaceFactory está a desenvolver o Masha, um habitat com construções impressas em 3D que venceu o concurso 3D-Printed Habitat Challenge da NASA em 2019.

A empresa norte-americana explica que, num ambiente a 54,6 milhões de quilómetros de distância da Terra, a construção de um habitat tem de ser completamente repensada. Enquanto as estruturas terrestres são desenhadas tendo em conta fatores como a gravidade e o vento, as que serão construídas em Marte têm de estar preparadas para lidar com a pressão atmosférica e térmica. Além disso, a falta dos típicos materiais de construção disponíveis na Terra, assume-se como um desafio adicional.

Assim, os edifícios que compõem o projeto Masha foram concebidos para serem construídos por robots, usando os materiais que estão disponíveis no território marciano, como por exemplo rochas fragmentadas. O design em forma de “ovo” foi criado de forma a maximizar o espaço disponível e economizar nos materiais necessários para a construção, tendo em conta as limitações que existem

As habitações contam com um isolamento exterior especial, composto por duas camadas, capaz de proteger os futuros habitantes humanos das extremas variações de temperatura. Por dentro, os habitats foram desenhados para uma melhor adaptação às necessidades humanas.

Ao todo, cada uma das estruturas conta com quatro níveis diferentes, com atmosferas que encorajam à mobilidade entre espaços e com elementos que prometem quebrar a monotonia. A empresa afirma que a saúde mental de quem está a fazer uma estadia prolongada no Planeta Vermelho é importante, assim é necessário incorporar elementos que consigam trazer alguma familiaridade.

Enquanto a Humanidade planeia as viagens a Marte, a AI Space Factory está a treinar a construção dos habitats marcianos na Terra através do projeto Tera. Em agosto de 2019, a empresa lançou uma campanha de crowdfunding para a construção de um habitat mais “amigo” do ambiente numa zona florestal perto do rio Hudson em Nova Iorque, com estadias a rondar os 175 a 500 dólares por noite.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.