Youichi Ishizuka, presidente e CEO da Canon EMEA deu início ao evento de apresentação da nova câmara fotográfica da marca com um discurso pela história da empresa, mostrando em cronologia os momentos marcantes da sua tecnologia nos últimos 30 anos. Revelou que lançaram 130 milhões de lentes EF, um marco que deixa a empresa orgulhosa. A tecnologia Dual Pixel CMOS AF utilizada em filmes e fotografias capturadas ao vivo e utilizadas na indústria do cinema é um dos momentos altos da tecnológica.

Serviu o balanço da história da empresa para lançar os dados sobre o futuro da Canon e o seu posicionamento face às necessidades dos clientes. O pedido de conteúdos 4K, e futuramente 8K, e depois 16K, perguntando-se se será possível fazer 32K, salientou em tom de humor.

Seguiu-se a entrada de Go Tokura, chefe de operações de comunicação de imagem da Canon. Confirmou o lançamento do sistema EOS R, a nova geração de câmaras da Canon, marcando o próximo capítulo da história da tecnológica. O objetivo da nova tecnologia é permitir capturar filmes e imagens da forma como os utilizadores imaginam. Nesse sentido, a criação de um novo design para as lentes, requeridas para uma nova resolução e sistemas de montagem. A nova tecnologia foi construída de raiz. O segredo, segundo o executivo, foi construir uma nova baioneta RF, o sistema EOS R, um conjunto de lentes e adaptadores.

A baioneta RF foi construída com base nos melhores aspectos da anterior EF, concebendo um sistema ótico com 54mm de diâmetro e uma distância de 20mm ao sensor, o que, segundo a empresa, permite uma maior liberdade para desenhar as objetivas. A ligação da nova baioneta de 12 pinos permite uma comunicação melhorada e uma transmissão de energia entre objetiva e o corpo da câmara, o que facilita a sua utilização.

A nova câmara será lançada com quatro lentes e três adaptadores para utilizar com lentes dos modelos anteriores. O novo suporte permite utilizar os sistemas EF que se encontram atualmente no mercado, adicionando novas funcionalidades. A base mantém o icónico anel prateado em torno da câmara.

A empresa promete o autofócus mais rápido do mundo, com 0,05 segundos de focagem de imagem visto numa câmara. Há um sensor Dual Pixel CMOS AF que permite capturar imagens em baixa luz, com o autofócus em EV-6. O sistema é totalmente silencioso, refere a empresa. Está ainda prometida uma cobertura de 100% da totalidade da cena, graças aos 3,69 milhões de pontos de imagem.

A Canon cedeu à necessidade de oferecer uma câmara híbrida, tanto para fotografia como criação de conteúdos em vídeo. Nesse sentido, promete-se um sistema de estabilização de cinco eixos com gravação de imagens a 4K, com saída de 10 bits através de HDMI.

Além da compatibilidade total com as objetivas EF e EF-S, e todos os acessórios já existentes, graças ao lançamento de três adaptadores. A completar o catálogo, a empresa lança também quatro novas objetivas para o sistema EOS R: a RF 28-70mm f/2L USM, RF 50mm f/1.2L USM, RF 24-105mm f/4L IS USM e RF 35mm f/1.8 MACRO IS STM.

Expandindo ainda mais o Sistema EOS existente, a Canon lança também a EF-M 32mm f/1.4 STM – a nova objetiva de 32mm para o Sistema mirrorless EOS M – e a EF 400mm f/2.8L IS III USM e EF 600mm f/4L IS III USM.

Para além da nova base EOS R, a Canon apresentou ainda diversos acessórios, entre eles um punho de bateria e um flash. O punho permite o uso de duas baterias LP-E6N de lítio de alta capacidade e o carregamento externo através de USB. O flash Speedlite EL-100 é compacto e leve, segundo a empresa. Para os fotógrafos que necessitam imprimir as fotografias fora do estúdio, a Canon apresentou ainda a impressora DPP Express com suporte ao formato RAW e compatível com iPad. As imagens podem ser importadas através da aplicação Camara Connect e editadas diretamente do tablet, tais como o balanço dos brancos, o ajuste fino da curva de tons, entre outros parâmetros.

Richard Walch, fotógrafo embaixador da Canon, refere que a nova câmara é o sonho daqueles que pretendem puxar pela fotografia ao limite. Pela sua experiência, as imagens apresentam qualidade nunca conseguidas até agora, mostrando algumas das fotos que captou durante o teste do novo produto. Um dos exemplos foi fotografar o fogo, uma fogueira cheia de fagulhas a voar, que a câmara conseguiu processar com detalhe todas as partículas da imagem, refere o embaixador. Mostrou ainda uma fotografia noturna de um cavaleiro, demonstrando a qualidade da câmara em ambientes de baixa iluminação.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.