Durante o Apple Worldwide Developers Conference (WWDC) esperam-se sempre novidades relacionadas com atualizações dos sistemas operativos, neste caso o iOS 14, a nova geração do sistema operativo de smartwatches watchOS 7, assim como novidades para o macOS. Este ano, devido à pandemia da COVID-19, o evento realiza-se em formato virtual pela primeira vez na sua história, mas estão prometidas muitas novidades ao longo de toda a semana para os developers.

Diretamente de Cupertino, no auditório da Apple, Tim Cook assumiu o palco de uma plateia vazia, para dar as boas-vindas ao WWDC, sentindo que mesmo não podendo apresentar as novidades ao vivo, passa a enviar em streaming para casa. E o seu discurso não poderia ser mais focado no momento que se vive nos Estados Unidos, alegando o caso de George Floyd e os movimentos contra o racismo no qual a empresa se revê. “Isto significa tomar ação”, revelando as ações que tem feito em prol das iniciativas. “Na Apple a nossa missão sempre foi tornar o mundo melhor”, numa mensagem de apoio a todos aqueles que têm feito sacrifícios na luta contra a COVID-19.

Prometendo uma semana repleta de novidades, consultas one-on-one com os engenheiros da Apple, num evento direcionado gratuitamente para uma comunidade de 23 milhões de developers, Tim Cook confirmou também as novidades sobre todos os seus sistemas operativos.

iOS 14 - Facilidade de navegação através da App Library

Craig Federighi assume o palco com novidades sobre o iOS. O iOS 14 promete ser mais fácil de usar que nunca. Este ano alguns elementos foram revistos, como o relógio e o calendário, mas também a forma de interação entre os utilizadores. O ecrã de Home, embora funcione bem, quanto mais apps forem instaladas, mais janelas são abertas e por isso, tudo é organizado no menu App Library, ocupando apenas uma página. Todas as aplicações instaladas são automaticamente arrumadas. Mas as páginas podem agora ser aumentadas para ocupar apenas uma janela, incluindo uma barra de pesquisa. Há uma pasta de sugestões e de apps recentemente instaladas.

Os Widgets foram revistos para serem mais fácil de gerir na Home Screen. Pode-se arrastar elementos de qualquer página e colocar na galeria de Widgets, sejam podcasts, a meteorologia, e graças ao Smart Stack, arrumar a "casa" torna-se mais fácil para ser personalizado por cada utilizador.

O sistema Picture in Picture permite arrastar janelas, umas para cima das outras, como por exemplo, ajustar a janela de um vídeo enquanto se fala com um amigo por chat.

Os resultados da Siri aparecem agora como notificações, sem os seus resultados serem tão intrusivos como até agora. Pode mandar mensagens por voz mais facilmente, mas talvez uma novidade interessante é a capacidade de ditar, podendo ser utilizado para traduzir, de forma natural, não apenas palavras ou frases, mas conversas completas. A Apple assegura que todas estas traduções são feitas em tempo real e de forma segura e inclui diversas línguas, incluindo o português. A nova app Translate permite rodar o smartphone na horizontal para facilitar a visualização das conversas.

Relativamente às mensagens, a Apple afirma que houve um aumento de 40% na troca de mensagens entre utilizadores. Por isso, o Messages foi também melhorado. Há novos Memojis, que incluiem máscaras em homenagem à luta contra a COVID-19. É possível fazer reply a mensagens individuais e consultar facilmente as respostas, sobretudo útil em conversas em grupo. A app facilita ainda ver quem respondeu recentemente às mensagens.

O novo Maps tem mais elementos tridimensionais, assim como informações e fotografias que ajudam os utilizadores a navegar. Promete ainda novas recomendações, assim como "novas formas de me levar até ali". Foi introduzido uma nova opção para usar bicicletas, com as recomendações de circuitos exclusivos para bicicletas. O mapa alerta ainda a presença de rampas e escadas, caso seja necessário pegar nelas à mão. Por outro lado, olhando para os condutores de veículos elétricos, a funcionalidade EV Routing serve para ajudar a encontrar locais de carregamento e outras informações úteis. A Apple trabalhou com a BMW e a Ford nesta funcionalidade.

Há ainda novidades para o sistema automóvel, incluindo uma versão digital das chaves. O BMW 540i de 2021 pode ser aberto e ligado com o smartphone, através de NFC. Desta forma pode deixar as chaves em casa e "depender" do iPhone para o ligar. Pode partilhar com outros utilizadores o total acesso ao veículo ou apenas algumas coisas, como abrir portas, mas não mexer na ignição.

A App Store também tem novidades. Através de etiquetas colocadas em locais estratégicos, um scan ao mesmo abre a localização da respetiva app na App Store. Chama-se App clips, para que a app esteja sempre disponível no local onde mais necessita, seja a alugar uma trotinete ou pagar o estacionamento, não precisa de um processo de instalação e registo. O objetivo dos App Clips é encontrar as apps facilmente, tais como oferecer sugestões de apps através de fotos enviadas por amigos. Para isso a Apple criou um novo código de imagem, semelhante a um QR Code, mas em forma circular, que permite aos developers criarem as suas soluções, apps rápidas e leves.

iPadOS 14 - Libertar mais espaço para os conteúdos

A Apple tem trabalhado para criar novas experiências, que permita trabalhar em todo o lado. O iPadOS 14 foi desenhado para trabalhar com apps num ecossistema partilhado entre diferentes ecrãs. Com um milhão de apps lançadas em exclusivo para o iPad, estão prometidas novidades. Semelhante ao iOS 14, o sistema de widgets e arrumação de galeria. Um objetivo é organizar as fotos numa barra lateral onde são indexadas, com diversos filtros para organizar. Os utilizadores podem arrastar fotos para cada pasta que desejar. No calendário há uma reorganização dos menus para criar mais espaço para as notas.

O novo Siri para iPadOS 14 foi desenhado especificamente para o iPad. Dando um exemplo de uma chamada, invés de invadir todo o ecrã, há uma pequena janela menos intrusiva, para que receba telefonemas sem interromper o que está a fazer no ecrã. A barra de pesquisa tem a mesma filosofia de ocupar menos espaço, e basta escrever algumas letras para sugestões relevantes para completar as pesquisas. O mesmo para a navegação no Safari.

O Apple Pencil transformou o iPad num caderno de notas ou quadro de pinturas. Este ano, a Apple quer usar a escrita à mão, através do Scribble, para que tudo o que escreva ser convertido automaticamente. Há alguns truques divertidos, com o sistema a reconhecer pequenas formas desenhadas como círculos ou pentágonos, convertendo as formas corretamente. Excelente para quem deseja fazer um esboço rápido de uma cozinha, o esquema fica alinhado sem usar régua e esquadro. E isso aplica-se quando deseja desenhar os símbolos em chinês, que são reconhecidos e alinhados corretamente. O sistema converte rapidamente a escrita natural, feita à mão, em caracteres do computador.

A empresa revelou ainda que o Spatial Sound chegou aos AirPods, prometendo uma experiência mais envolvente, capaz de replicar a experiência do cinema. A Apple promete simular sons de qualquer direção, capaz de nos obrigar a virar a cabeça na direção do som. O giroscópio e acelerómetro são usados na composição para oferecer uma experiência correta e sincronizada.

WatchOS 7 - Personalização das Face Watchs

A nova versão do sistema operativo para o Apple Watch permite adicionar novos widgets e instrumentos personalizados ao gosto de cada utilizador. As Watch Faces permitem assim oferecer aquilo que os utilizadores desejem no seu relógio. Os utilizadores podem partilhar as Face Watchs que caracterizou, enviando para amigos. Na app store pode-se aceder a novas versões cosméticas.

O Maps foi também melhorado com o sistema de bicicletas, para ter acesso a informações de rampas, escadas que servem de atalho e até sugestões para lojas de reparações. A App de Fitness foi também atualizada com o Sleep, um sistema para acompanhar o sono dos utilizadores. Será possível programar quando vai para a cama ou quando quer acordar, o que ajuda os utilizadores a desacelerar quando chega a hora de ir dormir, para ajudar a prepará-lo a ter uma noite descansada. O ecrã será desligado durante o sono e os alarmes podem ser apenas hápticos, vibrando no pulso dos utilizadores para não incomodar os companheiros.

Uma novidade interessante é a capacidade do relógio detetar quando está a lavar as mãos. Através de IA e machine learning, o relógio deteta os sons da água a correr, assim como os movimentos das mãos, e automaticamente arranca um contador, avisando os utilizadores quando fazem um "bom trabalho". A Samsung também tem um sistema semelhante, avisando mesmo os utilizadores para lavar as mãos de tempo a tempo.

Privacidade e Home

No que diz respeito à segurança, a Apple introduziu novas políticas de privacidade. Os utilizadores terão muito mais controlo sobre o que desejam partilhar, seja nas informações que as empresas querem aceder, seja nos dispositivos em casa. Nos produtos para a casa, todos eles devem ser fáceis de usar, serem totalmente privados e capazes de se integrarem e trabalharem entre si. A empresa está a trabalhar com diversas marcas para garantir uma espécie de protocolo para tornar as casas mais inteligentes, e através de ferramentas adicionadas ao iOS 14 ser capaz de abrir portas da garagem ou ligar a luz. Os utilizadores podem ter acesso a câmaras de casa e passar as imagens para a Apple TV.

E por falar em Apple TV, há novidades no acesso aos jogos, integração do comando da Xbox, e há a possibilidade de ver televisão e uma aplicação de fitness em picture in picture em simultâneo. O serviço Apple TV+ já está em mil milhões de utilizadores. Foi anunciada a nova série de ficção científica Foundation.

macOS Big Sur - integração com os equipamentos móveis

A Apple apresentou um novo design para o seu sistema operativo dos computadores Mac, aquele que considera ser a maior modificação do sistema operativo desde o macOS 10. O sistema operativo parece aproximar-se do iOS, tendo um ambiente light e dark, e uma maior facilidade de navegação entre as aplicações. A Dock tem uma barra de ferramentas, que os utilizadores vão conhecer rapidamente, na base do ecrã. As aplicações foram construídos com a mesma filosofia do iPad, com as ferramentas agrupadas e arrumadas de forma a ocupar pouco espaço no ecrã, sendo translúcido para ser menos intrusivo.

O centro de notificações foi revisto, estando todos agrupados por temas, permitindo aos utilizadores expandir as notas que deseja consultar. Também pode aumentar as respetivas janelas convenientemente. Os Me mojis podem ser desenhados e partilhados rapidamente em forma de stickers.

O Apple Maps para o Mac foi também revisto, com um design novo sendo adicionado pela primeira vez os favoritos e sugestões. Pode explorar a cidade ou consultar rapidamente a hora de um voo. Há ainda outras novidades semelhante à versão iOS 14.

O Safari teve direito a novidades também. O navegador de internet tem um novo design, ferramentas e uma maior preocupação na privacidade. A Apple promete ainda maior rapidez a carregar as páginas em cerca de 50%. Este ano o Safari podem ter acesso a um relatório de privacidade com todos movimentos feitos. Além disso, um cofre para guardar as suas palavras-passe. Há maior controlo de caracterização das abas, sendo a navegação mais limpa que as anteriores versões. Pode-se mudar o background da página, tal como arrastar uma fotografia para o navegador e torná-lo um "wallpaper". Há ainda mais ferramentas para os developers criarem novas extensões para os utilizadores. As tabs podem ser agora fechadas de forma mais personalizada. O Safari integra ainda sistemas de tradução entre diferentes idiomas.

Apple Silicon - a próxima geração de Macs

Por fim, Tim Cook guardou para o fim a confirmação do rumor mais badalado: o Apple Silicon, o seu próprio hardware que irá equipar os futuros Macs. Dando o exemplo das otimizações feitas para cada um dos seus equipamentos, dos smartphones aos smartwatches, a Apple refere que foi feita uma aproximação semelhante aos Macs. Performance e energia é o equilíbrio que a empresa procura para o Mac, ou seja, o maior desempenho gastando menos energia. Para tal, introduziu uma nova família de SoCs que vão alimentar a próxima geração dos computadores da empresa.

Os novos chips têm uma nova identidade (Universal Apps) para que os developers possam construir aplicações considerando as suas especificações, incluindo soluções da Microsoft e da Adobe. A empresa mostrou o Office, incluindo o Word e Excel a correr de forma otimizada no novo sistema operativo do Mac. O mesmo para o Lightroom, a aplicação de edição de fotografias da Adobe, assim como o Photoshop e o Final Cut, com filtros adicionados em tempo real, com o vídeo a correr em três janelas independentes.

A tecnologia Rosetta 2 permite traduzir o código das aplicações entre o sistema antigo para o novo. Há ainda ferramentas de virtualização para os developers trabalharem as suas aplicações e as lançarem mais rapidamente. E sobretudo, traduzir os seus anteriores projetos para a nova realidade Mac.

Os novos Macs permitem ainda correr diretamente jogos do iOS e iPad, sem qualquer mudança por parte dos developers. E para tornar as apps universais, a Apple criou um novo programa com um kit de desenvolvimento de transição para os developers. Estas unidades serão enviadas esta semana para as empresas começarem já a trabalhar antes mesmo do lançamento das novas máquinas. Quanto aos novos computadores para os consumidores, estes chegam no final do ano, esperando-se um período de transição para a arquitetura Apple Silicon nos próximos dois anos. As versões dos novos sistemas operativos chegam esta semana aos developers, estando previstas versões beta públicas em julho.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.