O Data Center já está conectado a dois cabos submarinos de transmissão de dados da empresa que ligam Angola e o Brasil pelo oceano Atlântico e faz parte de um projeto cujo investimento total já somou mais de 300 milhões de dólares (265 milhões de euros).

Um dos cabos submarinos da Angola Cabes liga Fortaleza e Luanda e o outro, construído em parceria com a Algar Telecom e o Google, conecta Boca Ratón, na Florida, e as cidades brasileiras de Fortaleza e Santos.

Após a inauguração do Data Center, o Governo do estado brasileiro do Ceará cuja capital é a cidade de Fortaleza, divulgou declarações de António Nunes, CEO da Angola Cables, sobre o projeto.

"Fortaleza é um hub [ponto de conexão] natural de cabos submarinos. Quando nós fizemos nosso planeamento de local no Brasil onde deveríamos aportar nossos cabos, Fortaleza foi o local mais adequado, pelo facto de podermos, posteriormente, através de um Data Center como esse, nos interligarmos com outros cabos submarinos que já estejam aqui", disse.

"Paralelamente a isso temos tido uma surpresa muito agradável porque o Estado e Fortaleza têm promovido muito o desenvolvimento do ecossistema digital e por isso Fortaleza passa a ser no Nordeste [do Brasil] um ponto muito importante dessa economia", acrescentou Antônio Nunes.

O Data Center da Angola Cabes tem uma infraestrutura neutra, ou seja, poderá agregar outros cabos submarinos de empresas concorrentes, instalados em Fortaleza.

Segundo informações divulgadas pelo jornal brasileiro O Povo, a empresa angolana espera poder oferecer um serviço de conexão à internet com preço 60% mais baixo que concorrentes e espera recuperar o investimento feito no Brasil no prazo de sete anos.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.