Domingos Neto, que falava a jornalistas na sequência do seminário de capacitação sobre o terceiro inquérito Nacional de Indicadores de Ciência Tecnologia e Inovação que se realizou hoje em Luanda, lembrou que Angola já foi mencionada, em 2014, no relatório da Nova Parceria Para o Desenvolvimento de África (NEPAD) sobre o desenvolvimento da investigação científica.

Apesar destas referências, o secretário de estado disse que Angola precisa melhorar para cumprir com as recomendações padrão, nomeadamente financiamentos de projectos ligados ao sector.

O secretário de estado explicou ser necessário que os financiamentos para os projectos científicos sejam equivalentes a um por cento do Produto Interno Bruto (PIB) Nacional, um indicador que ainda está distante da realidade do país, isto é, 0,07 porcento.

Segundo Domingos da Silva Neto, o problema não esta só nos valores à disposição, mas em como se aplicam.

Adiantou que já estão a ser feitos trabalhos para se atingir o preconizado, apontando como exemplo este inquérito que visa a recolha de dados e informação para a elaboração dos Indicadores de investigação científica e Desenvolvimento experimental, transferência de tecnologia e inovação.

No seminário foram transmitidos conhecimentos sobre os indicadores de ciência e tecnologia de informação, para elaboração dos indicadores de investigação científica e desenvolvimento experimental, transferência de tecnologia e inovação.