De acordo com o proprietário da embarcação, Miguel Sota, os armadores artesanais lançaram-se ao mar no domingo (14) com a previsão de regressarem às primeiras horas de segunda-feira, o que não aconteceu.

Informou que os pescadores continuam incomunicáveis até ao dia de hoje (quarta-feira), embora estejam munidos com equipamentos recomendáveis para a navegação marítima.

Fez saber que o facto já foi reportado à capitania local, que já despoletou uma operação de busca e salvamento dos ocupantes desta embarcação a motor de pequeno porte.

Para o delegado da Capitania do Nzeto, Manuel Nkula, as condições climatéricas e do mar (calemas) podem estar na base do desaparecimento da embarcação.

“Actualmente, a costa marítima do Nzeto tem estado a apresentar muitas calemas e muito nevoeiro, factores que podem estar na base do desaparecimento dos armadores”, referiu.

A costa marítima do Nzeto é abundante em diversas espécies, com destaque para o cachucho, sardinha, carapau, lagosta, gamba costeira, camarão, linguado, pargo, pungo, corvina, garoupa, atum e bagre.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.