Quase 200 localidades ficaram parcialmente inundadas em quatro regiões, sendo a mais afetada a de Ivano-Frankivsk, na fronteira com a Roménia, onde metade do território se localiza na cordilheira dos Cárpatos, informou o ministério do Interior ucraniano num comunicado de imprensa.

O mau tempo destruiu 110 quilómetros de estradas e 90 pontes, cortando o acesso a cerca de 30 comunidades, segundo o ministério.

Em algumas áreas, 70% do nível mensal de precipitação caiu desde domingo, acrescentou o ministro do Interior, Arsen Avakov, citado pelo seu serviço de imprensa, depois de sobrevoar as áreas inundadas acompanhado pelo primeiro-ministro ucraniano, Denys Chmygal.

As autoridades planeiam iniciar hoje a entrega de produtos essenciais por helicóptero para aldeias remotas.

Estas inundações são as mais fortes desde as inundações de 2008, que deixaram 39 pessoas mortas no oeste da Ucrânia.

Alguns especialistas culpam a exploração madeireira, frequentemente ilegal nos Cárpatos, que acreditam ser a causa desses desastres.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.