O sobrevivente disse à Angop que devido a intervenção do subinspector Zeferino Barroso António, o número de vítimas mortais não foi maior, numa viatura lotada com mais de oito passageiros.

De acordo com a testemunha, o oficial  reagiu depois dos meliantes terem disparado contra um dos passageiros, por este ter reclamado depois do anúncio do assalto.

“Em seguida, um outro meliante que se encontrava num dos banco por detrás do oficial, disparou contra este que, apesar de atingido, conseguiu alvejar o segundo bandido”, explicou.

O especialista em segurança pública, Edson do Nascimento, é de opinião que medidas urgentes devem ser tomadas nesta via, já que tem sido recorrente as acções do gênero por parte das associações de malfeitores, em diferentes rota de táxi.

Para prevenção, segundo o especialista, deve ser reforçada a iluminação pública, o patrulhamento, bem como a infiltração de policiais a paisana em táxis, principalmente nas rotas consideradas perigosas.

Acrescentou que as autoridades devem trabalhar com as associações de taxistas, para definir quem é taxista e quem pode ou  não exercer a actividade.

O subinspector Zeferino Barroso, chefe da sala de operações do comando municipal de Talatona, de 39 anos, vai a enterrar sábado no cemitério do Santana, município de Luanda.

Na corporação há mais de dez anos, deixa viúva e 11 filhos.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.