Segundo Adilson Diogo, neto de 20 anos de idade, o soba esteve doente durante dois anos e meio.

Falando à Angop, a directora municipal de saúde pública, Maria Rosa, disse que a autoridade tradicional padecia de dermatite ou celulite da perna, que causa muitas dores, inchaços ou inflamações.

Por seu turno, o director municipal da cultura, Serafim Pedro, frisou que a administração local vai prestar apoio social à família com bens alimentares e aquisição de uma urna para as exéquias fúnebres.

O soba fazia parte de um total de 114 autoridades tradicionais, entre os quais sobas grandes, sobas e seus adjuntos do município de Icolo e Bengo, que possui uma extensão territorial de três mil e 819 quilómetros quadrados.

A autoridade tradicional deixa viúva, filhos e netos.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.