Uma nota de imprensa chegada à Angop, faz saber que a operação do SIC culminou com a detenção em flagrate delito de dois cidadãos nacionais, identificados por JJK e SMMG, de 28 e 30 anos, o primeiro Técnico de Informática e o segundo Lotador de táxis.

O documento refere que a rede actuava numa repografia, vulgo Kónica, no mercados dos Kwanzas, em que os envolvidos circundavam as paragens de transportes colectivos interprovinciais, para aliciar indivíduos que pretendiam viajar para fora de Luanda e que não tinham feito teste da Covid-19.

Menciona-se que a rede cobrava o valor de 25 mil kwanzas, pelo comprovativo, sendo 15 mil kwanzas do teste e 10 mil kwanzas do credencial de circulação da viatura.

No momento da detenção, foram apreendidos os meios utilizados para o cometimento dos crimes, sendo um computador de mesa, duas impressoras, sete comprovativos de testes, dos quais três preenchidos com resultados negativos e quatro modelos não preenchidos, 10 cópias de bilhetes de identidade dos interessados, entre outros documentos e notas no valor de 12 mil kwanzas.

O informe revela que dados preliminares indicam que os maiores compradores dos comprovativos falsos são os viajantes com destino às províncias do Uíge e Zaire, transportados em viaturas dupla cabine de diversas marcas, com uma venda estimada de mais de 10 comprovativos.

O documento salienta que estão em curso diligências para deter outros envolvidos, enquanto os cidadãos já detidos serão presentes ao Ministério Público para imputação da responsabilidade criminal.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.