A informação foi avançada à Angop hoje, quarta-feira, na cidade do Lubango, pelo supervisor provincial para a Promoção da Saúde e Saúde da Huíla, Júlio Madaleno, tendo referido que as vítimas, possivelmente, consumiram carne do gado já morto.

Salientou que os 12 pacientes estão a ser tratados com antibióticos nas unidades sanitárias da Matala.

Neste momento, precisou, a situação está controlada, há uma equipa multissectorial, integrada por médicos, veterinários, entre outros especialistas, que está a fazer o diagnóstico, recolha de amostras, vacinação do gado e tratamento dos pacientes.

“Os casos de carbúnculos são sazonais. Temos recolhido amostras, mas não temos laboratórios equipados para esse trabalho, por isso está uma equipa de bacteriologistas no terreno a efectuar a colheita de amostras para mandar para o estrangeiro, no sentido de comprovar efectiva a causa da doença”, ressaltou.

Os técnicos, ressaltou, estão também a sensibilizar os populares para não consumirem carne de gado, que morreu de doença.

A comuna do Mulondo está a albergar, desde Abril deste ano, pelo menos 60 mil cabeças de gado bovino provenientes da província do Cunene e da República da Namíbia, que buscam água e pasto nesta região.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.