“Proteção da Infância na ilha: as vulnerabilidades e o papel das instituições públicas, privadas e da sociedade em geral” esteve em discussão na tarde de quarta-feira, na cidade das Pombas, Paul, com a apresentação de três ópticas diferentes do mesmo tema, a cargo de outras tantas individualidades da ilha.

A directora da Região Sanitária de Santo Antão, Ângela Gomes, dissertou sobre o tema na óptica da Saúde com a apresentação de dados estatísticos “que reflectem as vulnerabilidades” verificadas em Santo Antão e que influem nas fragilidades em termos de proteção da criança.

A conferência contou, também, com a participação, enquanto oradores, do munícipe do Paul, José Manuel Pires Ferreira, que falou na óptica da sociedade civil, e do Juiz da Comarca da Ribeira Grande que desenvolveu o tema na óptica da Justiça.

Na manhã do mesmo dia, a governante já tinha participado num encontro de reflexão sobre a transformação do Centro de Protecção do Paul em Centro de Emergência Infantil, como forma de evitar que as crianças santantonenses, que precisem de ser institucionalizadas, continuem a ser transferidas para a ilha de São Vicente.

Martiza Rosabal cumpre uma visita de uma semana à ilha de Santo Antão e tem agendado para hoje a continuação da sua estada no Paul, com encontros com os professores do Ensino Básico e do Ensino Secundário, na escola Jorge Oliveira, além de visitas às escolas do Agrupamento n.º 2, em Cabo da Ribeira.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.