De acordo com o coordenador adjunto para área técnica da Comissão Instaladora da Empresa de Águas e Saneamento do Zaire, Diasonama Nsoki, em entrevista hoje (quarta-feira) à Angop, no bairro Álvaro Buta foram identificadas três rupturas, que, entretanto, foram superadas pelos técnicos da Empresa de Águas e Saneamento do Zaire.

Fez saber que, além dessas rupturas provocadas pelas máquinas de terraplenagem, muitos moradores sem contrato contribuem no desperdício do líquido por falta de torneiras em residências.

A Empresa de Águas e Saneamento já começou, desde Fevereiro deste ano, a proceder ao corte de água aos moradores sem contrato, tendo sido executadas 166 acções em habitações dos bairros periféricos da cidade.

Informou que o processo vai continuar para encorajar todos aqueles que ainda não celebraram o contrato com a empresa e evitar o desperdício de quantidades consideráveis de água.

Disse que a medida abrange também chafarizes que foram instalados em alguns bairros da cidade de Mbanza Kongo onde tem se assistido o desperdício de água por parte de crianças e alguns adultos.

A cidade de Mbanza Kongo tem uma população estimada em 155 mil e 174 habitantes distribuídos em cinco bairros: Sagrada Esperança, 11 de Novembro, Martins Kidito, Álvaro Buta e 4 de Fevereiro.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.