O prémio Nobel da Química 2012 foi hoje atribuido aos americanos Robert J. Lefkowitz e Brian K. Kobilka pelos seus estudos sobre a proteína G, uma classe de proteína envolvida na transdução de sinais nas células.

O prémio Nobel da Química 2012 foi hoje atribuído aos norte-americanos Robert J. Lefkowitz e Brian K. Kobilka, anunciou o Comité Nobel. O prémio Nobel da Química 2012 foi hoje atribuído aos norte-americanos Robert J. Lefkowitz e Brian K. Kobilka, anunciou o Comité Nobel. Imagem: AFP PHOTO / JONATHAN NACKSTRAND

O júri premiou os dois americanos pelas suas descobertas sobre "o funcionamento interno de uma importante família" de receptores: os acoplados às proteínas G que permitem às células "adaptar-se a situações novas", destaca o comunicado da Real Academia das Ciências da Suécia.

Para explicar o quão importante é o trabalho dos laureados, Sven Lidin, do Comité do Nobel, começou por gritar “Boo”, numa tentativa de assustar a plateia. A adrenalina que percorre o corpo quando alguém é assustado, explicou, é apenas uma das manifestações de uma vasta rede que permite comunicar um sinal químico através de milhões de células.

Perceber como estes receptores funcionam é fundamental para compreender a complexa rede de sinais trocados entre as células. Estes receptores são como portões de entrada das células para vários neurotransmissores e hormónios do nosso corpo, explicou Robert Lefkowitz depois do anúncio do prémio. Os receptores acoplados à proteína G são o alvo de atuação de muitos fármacos. 

Robert J. Lefkowitz é investigador do Medical Institute Howard Hughes e do Duke University Medical Center, e Brian K. Kobilka trabalha na Universidade de Medicina de Stanford.

A temporada dos prémios Nobel 2012 começou na segunda-feira com o anúncio do Nobel da Medicina, atribuído ao japonês Shinya Yamanaka e ao britânico John Gurdon pelo trabalho na reprogramação de células maduras, que voltaram ao estado estaminal.

Na terça-feira foi anunciado o Nobel da Física, que distinguiu o francês Serge Haroche e o norte-americano David J. Wineland "pelos métodos experimentais inovadores que permitem medir e manipular sistemas quânticos individuais".

O anúncio dos prémios prossegue na quinta-feira com o Nobel da Literatura, na sexta com o da Paz e termina no dia 15 com o da Economia.

Os prémios Nobel, criados em 1895 pelo químico, engenheiro e industrial sueco Alfred Nobel (inventor da dinamite), foram atribuídos pela primeira vez em 1901.

Os nomes dos nomeados para receber um Nobel têm sido mantidos em segredo há 50 anos e, até agora, foram entregues 853 prémios.

Factos sobre o Nobel da Química:

O primeiro Nobel da Química foi atribuido a Jacobus van 't Hoff e, entre 1901 e 2011, 163 pessoas receberam este prémio, sendo 4 destas mulheres. A idade média de um laureado com o Prémio Nobel da Química é de 57 anos. Frederick Sanger foi o único a receber duas vezes este prémio, em 1958 e 1980.

SAPO