"A recolha de bens termina hoje, mas só amanhã encerramos oficialmente a campanha, com a selagem do contentor, que acompanharemos e que está previsto chegar a Angola em 24 de setembro", afirmou, em declarações à Lusa, Ivaniltan Jones, uma das responsáveis da comissão criada para coordenar a operação, cujo resultado já leva os organizadores a pensar noutra acção, desta vez para a província do Cuando Cubango.

"Avaliaremos durante a nossa ida a Angola, com as autoridades locais, a possibilidade de levar a cabo uma outra campanha, mas de apoio à zona do Cuando Cubango", detalhou.

Segundo Ivaniltan Jones, a acção destas 40 associações e organizações eclesiásticas angolanas foi "uma resposta da diáspora angolana às necessidades de quem vive no país" e teve uma adesão "muito positiva da sociedade civil em Portugal”, por isso também é possível pensar em novas ações, admitiu.

Entre os bens que agora vão ser enviados para a região do Cunene, contam-se roupas, sapatos e brinquedos, mas também livros, referiu a responsável da comissão.

A recolha decorreu entre 01 de Agosto e 10 de setembro.

A União Europeia (UE) lançou esta segunda-feira mais uma tranche de um fundo de subvenções de 65 milhões de euros para financiar projectos de organizações da sociedade civil nas províncias angolanas da Huíla, Cunene e Namibe, afectadas pela seca.

A verba agora aprovada é de 12.337.500 euros, que fazem parte de um total de 65 milhões de euros, financiados pela UE no âmbito do projecto de Fortalecimento da Resiliência e da Segurança Alimentar e Nutricional em Angola (FRESAN).

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.