Silva afirma que o ano inicia com a violação de uma lei de Setembro que prevê 36 alunos por sala de aula.

“Não sei com que linhas o Ministério vai se coser para cumprir este decreto, uma vez que não se inauguraram novas salas para os alunos que entram este ano”, lembra.

O sindicalista afirma ainda que, além da falta de material para os alunos, os professores continuam a trabalhar em “situação de indigência” com salários baixissimos e fracas condições de trabalho.

“Os professores nas zonas ruraios são herois”, reitera o dirigente sindical  o ano letivo arrranca “com os mesmos problemas”.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.