Estas profissões, disse, desempenham uma função incontornável na promoção da inclusão social de pessoas em situação de risco, excluídas, ou em vulnerabilidade social, através da promoção da formação cívica, do fomento dos direitos humanos e da igualdade de género.

Na construção deste alicerce, a primeira-dama considerou, existir três profissões imprescindíveis e que precisam de ser mais que valorizadas no país: o assistente social, o educador social e o educador de infância.

Ao presidir a cerimónia de abertura do ciclo de conferências "Educar para a Cidadania", promovido pelo seu gabinete, Ana Dias Lourenço, defende que cada angolano, em situação de risco ou de vulnerabilidade, deve ser protegido e auxiliado a alcançar uma cidadania plena, deste a infância até ao final da sua vida.

Referiu ser incontornável a valorização dos profissionais que promovem a mudança social, a coesão social e o empoderamento, para a realização integral da pessoa humana, potenciando ao  máximo todas as suas aptidões.

“As profissões de assistente social, educador social e educador de infância, não são de gabinete, são profissões de campo, são missões de vida, são compromissos que deixarão uma marca nos cidadãos e nas comunidades por onde cada um destes profissionais passar”, disse.

Acrescentou ser firme o propósito de trabalhar em prol da redução das desigualdades sociais, promover a inclusão social da crianças, jovens e idosos, advogar e colaborar com o Executivo na implementação de medidas de protecção social.

Para o efeito, sublinhou, foi criado duas plataformas a “Roda do amor”  e a “ Transforme vidas, seja mulher” com finalidade de promover valores e princípios sociais.

A primeira é dirigida a crianças na primeira infância e a segunda as jovens, em particular meninas para as motivar a assumir o seu papel enquanto agente de mudança e influência  na sociedade.

"No universo dos diversos eixos prioritários de desenvolvimento, tenho, como Primeira-Dama da República, dedicado particular atenção à educação nos primeiros anos de vida das nossas crianças”, referiu.

Ana Dias Lourenço disse acreditar que o investimento na educação pré-escolar e, subsequentemente na formação dos educadores de infância, se assemelha “à fundação de uma casa”.

Realçou os esforços do Executivo que em 2020 irá proceder à abertura de um mestrado em metodologias de ensino especializadas para a educação de infância, com vista a que as funções docentes na educação pré-escolar sejam asseguradas, em cada província, por professores devidamente qualificados e com bom desempenho.

Realçou que o evento é um importante espaço de reflexão e partilha de conhecimento sobre os principais desafios dos profissionais que actuam no domínio da intervenção social e a sua qualificação.

Disse esperar que o encontro motive os estudantes que pretendem abraçar as profissões de assistente social, educador social e educador de infância, bem como sensibilize a sociedade civil em geral, no sentido de valorizar uma cultura de inclusão social e destacar a relevância da educação na primeira infância.

O encontro, que decorre com o lema “O contributo do assistente social, do educador social e do educador de infância para a cidadania, equidade e qualidade do ensino”, contou com a participação da ministra de Estado para área Social, Carolina Cerqueira, de titulares de diversos ministérios, docentes e estudantes.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.