A campanha tem como objectivo sensibilizar, mobilizar e disseminar uma mensagem de paz, segurança, tranquilidade, bem como moralizar toda a sociedade neste período festivo, visando adoptarem comportamentos socialmente aceites nas comunidades, no ambiente rodoviário e para a participação nos actos cívicos e de cidadania.

Para o desiderato desta campanha serão distribuídos cerca de 75 mil panfletos e camisolas nas ruas e em locais de maior concentração da população, levando mensagem de paz e tranquilidade para uma quadra festiva sã e tranquila.

Segundo o pastor da AMC, Elias Pedro, para além da missão que é evangelizar, vão também apoiar os esforços do governo nesta ingente e patriótica missão de garantir a segurança, tranqüilidade e a ordem pública nas comunidades.

Para ele, a mensagem principal da campanha é mostrar o trabalho que a igreja tem realizado sendo semelhante ao da polícia, diferenciado na terminologia, uma vez que o crime é pecado, então a conexão pretendida é construir um país sem crime e violência.

Considerou que a igreja, devido a sua capacidade de mobilização e de intervenção junto das comunidades deve apoiar as autoridades legítimas e as famílias e assumir um papel preponderante, visando persuadir os conflitos familiares, sinistralidade rodoviária, roubo e criminalidade, dentre outros.

Para o segundo comandante da Polícia Nacional, António Maria Sita, pretende-se com esta campanha usar o poder da igreja para levar o bem, elevar a consciência da irmandade, paz e de espírito e de certa medida  prevenir e ajudar todos os homens do mal a não cometerem crimes.

Informou estarem mobilizados cerca de 80 a 120 mil efectivos, quer administrativos, quer operacionais, de vários ramos da polícia para garantir e marcar presença nos bairros, de modo a garantir uma quadra festiva segura e tranquila.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.