De acordo com uma nota da delegação provincial da Lunda Norte do Ministério do Interior, o homem, que se fazia passar por funcionário do ACNUR, foi detido no domingo, depois de uma denúncia de responsáveis daquela agência das Nações Unidas.

O caso teve início no dia 06 deste mês, quando o suposto burlão, apercebendo-se de uma vaga no escritório do ACNUR para o preenchimento da função de técnico assistente de águas, adquiriu o formulário, que foi utilizando para publicitar o suposto concurso e atrair jovens interessados, alegando existir mais de 30 vagas.

O suposto burlão, prossegue a nota, chegou a concretizar 50 inscrições, pelas quais cobrou montantes que variam entre os 30.000 kwanzas (55 euros) e os 50.000 kwanzas (91 euros).

Na nota, as autoridades angolanas apelam à sociedade, em particular os jovens, para que estejam atentos às promessas de emprego de pessoas singulares, devendo responder apenas a anúncios nos órgãos de comunicação social.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.