Segundo um estudo recente publicado no site LiveScience, o consumo moderado de álcool pode ajudar a prevenir doenças cardíacas, através do bloqueio de sinais das moléculas ligadas a acumulação de placas nas artérias.

As moléculas, chamadas "Notch" são vitais para o desenvolvimento embrionário. Nos adultos, ajudam a controlar os músculos involuntários minúsculos que fegulam o fluxo sanguíneo das artérias.

Quando as moléculas são estimuladas por elevados níveis de tabagismo, colesterol oiu alterações no fluxo sanguíneo, elas estimulam as céluluas desse músculo a multiplicarem-se, o que pode levar ao desenvolvimento de placas arteriais.

Mas quando essas células são expostas ao álcool,  a sinalização de Notch fica bloqueada e as células da parede arterial não crescem, não engrossam.

Para chegar a esta conclusão, os investigadores cultivaram células de artérias coronárias humanas em pratos, expostas em álcool e mais tarde fizeram a experiência em dois grupos de ratos de laboratório: Os que tinha "bebido" álcool tinham os vasos sanguíneos mais finos.

Este estudo vem confirmar outros que afirmam que o consumo moderado de álcool faz bem a saúde.

Mas qual a quantidade certa? Segundo os cientistas, as mulheres saudáveis não devem beber mais do que três doses numa ocasião ou sete por semana. Os homens saudáveis com menos de 65 anos não devem beber mais do que quatro doses por ocasião ou 14 por semana.

Um copo de vinho, uma cerveja de 333 ml ou um copo de aguardadente de 44 ml contam como uma dose.

Este estudo abre novas portas aos cientistas. Se no futuro forem capazes de descobrir o mecanismo com o qual o  álcool funciona para beneficiar o coração, podem desenvolver um medicamento que imite este efeito benéfico.

SAPO

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.