Segundo um documento a que a Angop teve hoje, quinta-feira, acesso, sem mencionar o tempo que ficaram fora seu habitat, os animais estavam no centro de reabilitação do parque, depois terem sido retirados das mãos de caçadores furtivos.

Conforme o documento, a administração controla actualmente nove papagaios, sendo que três morreram no ano passado, por ataques de formigas bissonde.

Os papagaios cinzentos são protegidos por lei, mas a sua contínua caça e comercialização por parte de traficantes nacionais e internacionais estão a deixar a espécie ameaçada e em vias de extinção.

Pra tal, a administração do parque tem gizado programas diversos de educação ambiental nas comunidades, para explicar a importância dos papagaios cinzentos na atracção turística local, bem como na necessidade de conservação e protecção do animal e do seu habitat natural.

Em 2018 oito fiscais e membros das comunidades de Buco Zau e Belize foram formados por médicos veterinários espanhóis, em matérias relacionadas com identificação do seu habitat, tipologia de doenças, identificação de idade, sexo, musculação, alimentação, gramas, assistência médica e veterinária.

O aviário de reabilitação dos papagaios cinzentos construído em 2018, na sede do Parque Nacional do Maiombe, tem oito metros de cumprimento e dois de largura.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.