A informação foi avançado hoje, terça-feira, à Angop pelo representante da organização no Huambo, Pablo Eulogio, do explicado que neste período foram instalados 16 sistemas de lavagens das mãos em nove unidades sanitárias da cidade do Huambo e 14 em igual número de hospitais municipais, que beneficia os técnicos de saúde e os visitantes destes estabelecimentos hospitalares.

Disse ainda que foram igualmente instalados oito sistemas em lares de crianças e idosos e 19 nos mercados informais à céu aberto da Quissala, vulgo “Alemanha”, Calobrinco, Kapango, Cacilhas, Cruzeiro (Calongulo), Cambiote e do bairro da Chiva, localizadas na periferia da cidade do Huambo, com o propósito de diminuir os riscos de contágios em locais públicos da Covid-19.

Pablo Eulogio referiu que o acto de lavagem das mãos contribui para a redução das doenças diarreicas e a desnutrição em 44 por cento e a melhora da higiene pessoal.

Numa altura em que se regista, ao nível mundial e no país em particular, uma proliferação de casos da pandemia do Covid-19, “há necessidade de se instalar sistemas como estes em todas as unidades sanitárias, escolas e outros locais de maior fluxo de pessoas”.

Avançou ainda que, nesta altura, têm já concluído nove furos de água em igual número de escolas do município Sede e da Caála, bem como três por concluir na comuna do Cuima (Caála), que estão igualmente a beneficiar as populações circunvizinhas destas instituições escolares.

Esta organização tem igualmente apoiado a formação de agentes comunitários sobre a manutenção de furos de água, instalados em 465 escolas do ensino primário, nos municípios do Huambo, Caála e Longonjo, com a parceria do Gabinete da Educação local.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.