"Praça da Alemanha" em Kissala

Em homenagem ao Campeonato Mundial de Futebol de 2006, que se disputou na Alemanha, o pequeno mercado da localidade da Kissala, no Huambo, ganhou inicialmente o nome de "Praça da Alemanha". Hoje, estima-se que o mercado emprega mais de 10 mil comerciantes. - DW/J. Adalberto

Entreposto comercial

Com uma dimensão superior aos mercados existentes na cidade e uma localização fora do casco urbano, o "Mercado da Alemanha" rapidamemente ganhou nome e espaço, ao ponto de funcionar como uma espécie de entreposto comercial da província do Huambo e não só. - DW/J. Adalberto

De tudo um pouco

É aqui que convergem grandes e pequenos vendedores da cidade do Huambo e das províncias vizinhas para fazer negócios. E no "Alemanha" vende-se de tudo um pouco, incluindo arroz, óleo e outros produtos alimentares. - DW/J. Adalberto

Carvão vegetal: procura-se

O carvão vegetal é um dos produtos mais procurados no "Mercado da Alemanha". Como a escassez de gás de cozinha é frequente no Huambo, os habitantes vão encontrando alternativas - como o carvão vegetal. - DW/J. Adalberto

Batas para os estudantes

No "Mercado da Alemanha" não podia faltar uma seção de vestuário e costura. E aqui, uma das peças mais procuradas, sobretudo no início de cada ano letivo, são as batas escolares. - DW/J. Adalberto

Portas e janelas

O setor da construção também está presente no "mercado alemão" do Huambo, com a produção e venda de portas, janelas e outros serviços - para todos os bolsos e gostos. - DW/J. Adalberto

Aumento da delinquência

A falta de bancadas condignas para o exercício da atividade comercial preocupa os vendedores do "Mercado da Alemanha". Os comerciantes também se queixam do aumento da delinquência que, segundo dizem, tem afugentado muitos compradores. - DW/J. Adalberto

Falta de condições higiénicas

Apesar dos ganhos e dos postos de trabalho que o espaço cria, muitos clientes reclamam da falta de condições higiénicas no mercado. Muitas vendedoras desenvolvem a sua atividade sem se preocuparem muito com a higiene à sua volta. Existe uma empresa que se responsabiliza pela limpeza do mercado, mas por insuficiência de meios e recursos humanos não tem correspondido às expetativas. - DW/J. Adalberto

Concorrência desleal

Além da falta de segurança, alguns vendedores reclamam igualmente da concorrência desleal que dizem existir no mercado. Enquanto uns comerciantes vendem no interior do mercado e pagam fichas de 200 kwanzas (cerca de 37 cêntimos de euro) por dia, outros fazem-no fora do recinto. - DW/J. Adalberto

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.