A viúva de 35 anos sobreviveu com queimaduras no rosto e mãos, enquanto o violador, de 42 anos, não resistiu aos ferimentos.

A vítima da violação explicou à polícia que o seu agressor a atacou e violou em casa, numa localidade a norte de Calcutá. "Depois atirou querosene sobre o corpo dela para atear fogo", revela o agente da polícia indiana Sajal Kanti Biswas.

A Índia possui um duro balanço em termos de violência sexual. Em 2016, foram assinaladas cem violações por dia, em média, segundo as últimas estatísticas oficiais. Em muitos casos, as vítimas são consideradas culpadas pelo crime.

A lentidão do sistema judicial e a frouxidão da polícia contribuem para a ocorrência de casos em que a justiça é feita pelas próprias mãos.

No final de dezembro, uma indiana arrancou o órgão genital de um vizinho que a importunava e depois levou-o para o hospital, para que salvassem a sua vida.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.