O valor está a ser usado para a aquisição de materiais de biossegurança, água potável, roupas de camas, medicamentos e bens alimentares, afirmou o vice-governador para o Sector Político, Social e Económico, Victor da Silva, após ter visitado um dos centros nesta segunda-feira.

Provenientes de diferentes localidades do país, os cidadãos retidos viram-se impossibilitados de regressar às áreas de origem, pois a vigência do estado de emergência impõe limitações à circulação de pessoas. O objectivo é evitar a proliferação da pandemia que já causou duas mortes no país.

Em declarações à imprensa, Victor da Silva referiu que o município sede (Moxico) possui o maior número de assistidos (250), enquanto 70 outras pessoas estão retidas nos postos fronteiriços do Alto Zambeze, Luau, Bundas e Luchazes.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.