Segundo as autoridades sanitárias da Samba, na semana passada foram diagnosticados três casos de cólera do bairro da Camuxiba.

As autoridades locais que deram inicio ao programa de limpeza das valas, na semana anterior, no âmbito do programa de prevenção da cólera, colocaram efectivos da fiscalização no bairro para sensibilizar, indicar o local adequado para a deposição dos resíduos e possíveis sanções para os que assim teimam em colocar o lixo em locais impróprios.

Francisca da Silva  e Augusta Timóteo, moradoras surpreendidas a depositar o lixo na vala, defendem-se dizendo que os contentores encontram-se distantes das residências e os carros que faziam a recolha do lixo no interior do bairro pararam de o fazer sem uma  justificação.

Em declarações hoje, quarta-feira, à Angop, a administradora distrital adjunta, Madalena Manuel, que repudia atitude dos moradores, explica que a população devia estar toda envolvida  no combate às doenças como a cólera e a malárias, procurando os contentores colocados nos locais mais próximos, evitando a todo o custo a criação de lixeiras.

A responsável disse desconhecer o número de munícipes já multados até ao momento, uma vez que a multa é passada pelos fiscais e o pagamento é feito na área financeira do distrito.

Terça-feira foi realizada uma campanha de limpeza no mercado da Mabunda e arredores, mas devidos a escassez de meios os trabalhos tem sido feitos paulatinamente, sendo priorizadas as áreas onde foram registados os primeiros casos de cólera, como a do povoado

Paralelo ao programa de limpeza, as autoridades sanitárias da Samba continuam a distribuir lixívia para desinfectar a água para o uso doméstico e a realizar campanhas de sensibilização ligadas a manutenção da higiene caseira e dos arredores .