Também séao visíveis os impactos das chuvas que fustigam desde ontem as províncias do sul de Moçambique.

“Estamos a ter problemas nas cidades de Maputo, Matola, Xai Xai e Chókwè onde se registam situações de inundações urbanas “, descreveu o meteorologista, Acácio Tembe.

As vítimas estavam no interior de uma igreja e participavam num culto religioso. Os cinco sobreviventes tiveram ferimentos ligeiros. Com este incidente sobe de 45 para 54 o número de mortos na época chuvosa que teve início em Outubro de 2019.

Na Morrumbala, província de Zambézia, no centro de Moçambique, nove pessoas morreram e outras cinco ficaram feridas, atingidas por raios, este domingo, no posto administrativo de Chire.

Vias e bairros alagados é o cenário em Maputo. O meteorologista alerta para a contínua queda de chuvas e possível ocorrência de ciclones.

Em Cabo Delgado há cinco distritos que continuam isolados desde Dezembro. Não existem previsões para restabelecer a ligação terrestre na zona norte de Cabo Delgado que está isolada nos últimos dois meses, depois do desabamento de duas pontes na Estrada Nacional número 380.

A época chuvosa já afectou mais de 600 salas de aula, 47 escolas, cerca de 13.000 casas, dez unidades de saúde e mais de uma centena de postes de energia.

No ano passado foi um dos mais severos. 714 pessoas morreram, incluindo 648 vítimas de dois ciclones (Idai e Kenneth) que se abateram sobre o país.


Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.