A governante teceu tais considerações durante o acto central do 14 de Abril, data consagrada à juventude Angola, decorrido em Saurimo, sob lema "Juventude empoderada desenvolvimento sustentável garantido".

De acordo com a governante, o seu ministério está empenhado em usar todos os mecanismos a disposição do Executivo, para facilitar a inserção dos jovens na vida activa, tendo em conta o empreendedorismo e a promoção do auto-emprego.

Frisou que o sector está igualmente empenhado na elaboração de diplomas que vão dinamizar a participação dos jovens na vida activa do país, com realce para a composição do ante-projecto de lei da política de Estado da Juventude, alinhado ao Plano de Desenvolvimento Nacional.

A ministra reconheceu que os jovens angolanos ainda enfrentam enormes problemas, sobretudo neste contexto de grandes adversidades sociais e económicas, em consequência do quadro macroeconómico desfavorável que o país atravessa.

Citou que de acordo com os dados recentes, divulgados pelo Instituto Nacional de Estatística, o país registou um aumento exponencial do desemprego, na ordem dos 40 a 46 porcento, que constitui um grande desafio a ser superado.

Justificou que tal facto, deve-se, entre outras causas, ao desaparecimento de pequenas e médias empresas, que no passado recente, foram responsável pela criação de postos de trabalho para a juventude.

Por outro lado fez saber que apesar do ambiente económico actual, foram formados nos últimos anos, 12 mil e 418 jovens em matérias de empreendedorismo e 48 mil e 818 em outras especialidades, tendo a ministra apelando-os a empreenderem, usando os conhecimentos técnicos adquiridos.

De igual modo, incentiva a juventude angolana a participar e a candidatar-se nas eleições autárquicas, previstas para o ano 2020.

O acto ficou igualmente marcado com a implementação na Lunda Sul, do projecto "Juventude Informada, Responsável e Organizada" (JIRO), que visa munir os adolescentes e jovens com informações e habilidades que lhes permita optar por actitudes correctas perante a sexualidade.

Segundo a ministra, o acto visa igualmente afastar os jovens dos perigos das drogas e do consumo desregrado e bebidas alcoólicas e outras práticas que condicionam o desenvolvimento intelectual e socioeconómico desta franja.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.