Em declarações hoje (segunda-feira) aos jornalistas, durante o balanço final da aludida operação, o chefe do Gabinete de Informação e Análise do Comando Geral da Polícia Nacional, comissário José da Piedade, disse que dos detidos, 722 são nacionais e 475 estrangeiros de várias nacionalidades com situação migratória ilegal.

Setenta porcento das pessoas foram detidas em flagrante delito e 30 porcento por mandados de captura, por alegado envolvimento em diversos crimes.

Dos suspeitos, destacam-se os envolvidos em casos de homicídios voluntários, assaltos a mão armada e violações.

De acordo com o oficial da corporação, foram ainda detidos 153 indivíduos pertecentes a 39 associações de malfeitores, apreendidas 114 armas de fogo de diverso calibre, 488 viaturas, 617 motorizadas, 827,733 quilogramas de liamba, 387 metros de cabos eléctricos.

Na operação, as forças da ordem aprenderam 193 motores de viaturas, na sua maioria na rua Machado Saldanha, no Distrito Urbano do Neves Bendinha e no município do Cazenga, por suspeita de serem de viaturas roubadas e desmanchadas para a venda das peças a retalhos.

Durante a acção policial, em que participaram efectivos de  várias especialidades, foram realizados patrulhamentos ostensivos, acções de busca e apreensão, identificação e detenção de estrangeiros ilegais, bem como operações de controlo rodoviário.

A referida operação ocorreu nas províncias de Luanda, Huíla, Uíge, Cuanza Sul, Cuanza Norte, Huambo, Benguela, Bengo, Bié,  Zaire e Cabinda.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.