As famílias, que vivem desde Maio deste ano em naves, fazem parte de um grupo de membros da Associação dos Deficientes Unidos de Cabinda.

Esses deficientes recebem apoios da Secretaria Provincial da Reinserção Social, entre os quais máquinas de costuras, kits de carpintaria e mecânica, para garantir o sustento familiar.

O governador de Cabinda, Marcos Nhunga, que visitou, terça-feira, uma das naves aonde estão alojadas as famílias em causa, orientou os vice-governadores para serem transferidas em residências condignas.

O presidente da agremiação, João Baptista Muanda, que agradeceu o gesto, apontou ainda a falta de meio de transporte para as deslocações com as cadeiras de rodas, material de trabalho e facilidade de acesso aos centros de formação e em escolas públicas.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.