O dado avançado pelo chefe de departamento da Saúde Pública e Controlo de Endemias do Bié, Isaías Cambissa, indica mais 39 óbitos comparativamente ao mesmo período de 2019.

Isaías Cambissa, citado pela rádio pública angolana, referiu que houve também um aumento de 650 casos em relação ao mesmo período do ano passado.

As mortes foram registadas nos centros nutricionais terapêuticos da província, que notificaram também a melhoria de mais de 1.500 crianças, 139 abandonos do tratamento e a transferência de 26 doentes para outras unidades sanitárias de referência.

Segundo Isaías Cambissa, o aumento de casos deve-se aos altos níveis de pobreza nas famílias, sobretudo as do meio rural.

A má nutrição causou também este ano a morte de 148 anos, na província angolana do Huambo, num total de 1.375 casos registados no primeiro semestre, de acordo com dados das autoridades sanitárias daquela região.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.