Para muitas bandas o segundo álbum costuma ser motivo para entrarem em depressão, mas os Buraka Som Sistema (BSS) resolveram enterrar a pressão e celebrar. «Komba» é isso mesmo, celebração do início ao fim, sem deixar de ser um disco um pouco mais negro que o álbum de estreia da banda («Black Diamond»). Nada que impeça a festa.

O kuduro progressivo dos BSS tem mais um capítulo escrito e desta vez a banda de J' Wow, Conductor, Riot e Kalaf trouxe outros ritmos na bagagem.

«Komba» não se centra apenas nas batidas de kuduro, podemos ouvir alguns batuques africanos, groovar ao ritmo de "breakbeat", de "grime", "afrobeat" ou mesmo dançar ao som de "reggaeton".

Tal como no álbum de estreia, o novo trabalho recebeu convidados de luxo como foi o caso de Sara Tavares, Terry Lynn, o nigeriano Afrikan Boy, o congolês Kaysha, a inglesa Roses Gabor, o produtor austríaco Stereotyp e os Mixhell de Igor Cavalera, o antigo baterista dos Sepultura.

É definitivamente um disco para se dançar do início ao fim, com grande destaque para os dois primeiros singles «(We stay) Up all night» com a participação de Blaya & Roses Gabor e «Hangover (Bababa)». Outros temas prometem ser viciantes como «Eskeleto» que conta com a participação de Afrikan Boy, «Voodoo love» que traz a voz de Sara Tavares, «LOL & POP» e «Macumba» que recebe como convidado Igor Cavalera.

«Komba» é um excelente segundo disco e os BSS fizeram um álbum que promete resultar muito bem ao vivo, bastante energético, mesmo nas faixas mais lentas. A banda continua a elevar a fasquia dos seus trabalhos, produzindo batidas bastante viciantes.

Na inevitável  comparação com o cd de estreia «Black Diamond», este «Komba» é um disco mais coeso e mais universal que com certeza acrescentará mais sucesso à carreira dos Buraka Som Sistema. As músicas parecem ter sido mais pensadas, sem no entanto deixarem de soar a espontâneas.

Com uma carreira internacional já consolidada banda prepara-se para lançar este disco em todo o mundo ainda durante o mês de outubro. «Komba» estará a venda em CD em Portugal no dia 24, no Japão no dia 26 e no dia 31 no resto do mundo.

SAPO

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.