Uma empresa francesa foi considerada responsável pela morte de um funcionário que sofreu uma parada cardíaca enquanto fazia sexo casual durante uma viagem de negócios.

O Tribunal de Apelação de Paris decidiu que sua morte foi um acidente de trabalho e que a família tem, portanto, direito a indenização.

Xavier X, cujo sobrenome não foi divulgado, trabalhava como engenheiro na TSO, empresa de serviços ferroviários com sede nos arredores de Paris.

Ele morreu em um quarto de hotel em 2013 durante uma viagem de negócios à região central da França, como resultado do que o empregador chamou de “uma relação extraconjugal com uma perfeita estranha”.

Os advogados da companhia argumentaram que o funcionário não estava tratando de assuntos profissionais quando se juntou a uma hóspede em seu quarto de hotel.

Mas, segundo a lei francesa, o empregador é responsável por qualquer acidente que ocorra durante uma viagem de trabalho.

A sentença do Tribunal de Apelação de Paris respaldou uma decisão judicial anterior, que defendia que a atividade sexual era algo normal, “como tomar banho ou comer”.

A corte entende que um funcionário em viagem de negócios tem direito à proteção social “durante todo o tempo de sua missão” e independentemente das circunstâncias.

De acordo com o jornal britânico The Times, a família vai receber como indenização um benefício mensal de 80% do salário dele até a idade para aposentadoria e, em seguida, uma parte de sua pensão.


Já assistiu aos nossos novos vídeos no YouTube? Inscreva-se no nosso canal!

https://www.youtube.com/watch?v=OfzC36k1gjo

https://www.youtube.com/watch?v=i69_0QTigOU

https://www.youtube.com/watch?v=upkhZui15nk

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.
Os textos do parceiro BBC News estão escritos total ou parcialmente em português do Brasil.