O desejo foi manifestado hoje pelo secretário de Estado da Comunicação Social angolano, Celso Malavoloneke, na abertura, em Luanda, do "Encontro de Reflexão sobre Comunicação e Direitos da Criança", que lembrou que o Ministério da Comunicação Social de Angola tem desenvolvido vários ciclos formativos destinados a munir os profissionais para o novo paradigma em fazer jornalismo.

Celso Malavoloneke referiu que os órgãos de comunicação têm um "grande papel" a desempenhar na inversão do quadro a que se assiste no que diz respeito às violações aos Direitos da Criança.

"As crianças têm uma capacidade ilimitada de expressar os seus anseios e ideias. Assim sendo, é um desafio ouvi-las e percebê-las para que possam ser ouvidas pelos adultos", referiu, defendendo que os órgãos de comunicação social angolanos "devem contribuir" para a "sobrevivência, crescimento e desenvolvimento" dos jovens.

Por seu lado, o representante em Angola do Fundo das Nações Unidas para a Infância (UNICEF), Abubacar Sultan, apelou aos profissionais da comunicação social à observância aos princípios relativamente a privacidade e ao respeito do direito da criança.

O responsável referiu que Angola está bastante avançada na questão do respeito pelos Direitos da Criança.

"É importante focarem-se na protecção e promoção das crianças, chamando a sociedade a reflectir e salvaguardar esses direitos", afirmou, salientando que a UNICEF "vê com bons olhos" a iniciativa do Ministério da Comunicação Social, bem como a parceria desenvolvida entre ambos no domínio da formação de jornalistas infantis.

Porém, Abubacar Sultan realçou a necessidade de a comunicação social influenciar a sociedade para uma transformação positiva, para que se adopte uma cultura de respeito aos Direitos da Criança.

O encontro, promovido pelo Ministério da Comunicação Social em parceria com a UNICEF, aborda, entre outros, os temas "O Direito da Criança em Angola - Implementação dos 11 Compromissos", "O Compromisso n.º 10 - A Criança na Comunicação Social" e "Práticas Jornalísticas na Abordagem das Matérias sobre a Criança".

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.