As referidas casas compostas por dois quartos, um quarto de banho, uma sala e uma cozinha foram atribuídas ao pai, Ernesto Armando e à sua filha primogénita, Juliana Armando, que agradeceram o gesto solidário do Governo central.

Trata-se de uma família composta por 10 filhos órfãos de mãe, falecida em Maio último durante o parto.

A família vivia na zona do Benfica, município de Talatona, em Luanda, em casa de chapas, cujo terreno estava em litígio.

O secretario de Estado para a Acção Social, Lúcio do Amaral, disse que após o grito de socorro que mexeu com a sociedade luandense, o Ministério da Família e Promoção da Mulher e seus parceiros entenderam prestar esta ajuda solidária.

Conforme o responsável, o governo vai também garantir emprego ao pai para poder sustentar os filhos.

Esta família, recorde-se, estava alojada num dos Centro de acolhimento do Ministério da Acção Social, Família e Promoção da Mulher onde recebiam o apoio necessário, incluindo consultas e acompanhamento dos gémeos, os mais recentes.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.