Orientado pelo governador Sérgio Rescova, o encontro serviu para exigir  dos taxistas maior prudência no exercício das suas actividades e o empenho do GPL em recuperar as vias secundárias e terciárias, assim como o serviço de tapa buracos.

A retirada da paragem de táxi situada junto da Igreja Católica de Viana, a construção de vias especiais para os transportes públicos que podem contribuir para desafogar o trânsito, foi igualmente discutido durante o encontro.

Sérgio Luther Rescova recomendou aos taxistas que tenham uma postura diferente durante o exercício das suas actividades para reduzir o elevado índice de acidentes que tem causado muitas mortes.

Adiantou que as condições das paragens de táxis serão melhoradas, mas lamentou o facto de muitas delas se transformarem em mercados que produzem muito lixo.

O administrador  de Viana, Fernando Manuel, informou que os técnicos da administração estão a estudar para encontrar formas de desanuviar as principais artérias, sobretudo a adjacente à Igreja Católica.

Um representante da Associação de Taxistas de Luanda (ATL), entre as dificuldades que enfrentam, indicou a falta de iluminação e de policiamento nas paragens já sinalizadas pela direcção provincial de Tráfico, Transporte e Mobilidade.

A província de Luanda conta com 177 rotas e 169 paragens de táxis.

Participaram no encontro vários órgãos ligados a Polícia Nacional, direcção dos transportes, técnicos do GPL e da administração municipal, e responsáveis das organizações dos taxistas  de Luanda.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.