O responsável do Movimento dos Estudantes Angolanos (MEA), Francisco Teixeira, denunciou à VOA um esquema de cobranças de dinheiro por “portas e travessas” para a obtenção dos certificados da 6ª para 7ª classe, 9ª para 10ª classe e do ensino médio para o ensino superior.

Os estudantes são forçados a pagar pelo facto do encerramento das inscrições estar previsto para o dia 11 e muitos temem ficar de fora.

Francisco Teixeira, presidente do MEA, mesmo após vários contactos junto do Ministério da Educação e da Delegação Provincial da Educação em Luanda diz que continua a burocracia na aquisição de documentos para as matrículas.

Esta situação, segundo Teixeira, decorrer da decisão da Direcção de Educação de Luanda de proibir, desde Agosto, a cobrança de qualquer emolumento nas escolas estatais, por falta de uma lei que regule os preços.

Francisco Teixeira diz que a falta de certificados está a dificultar a inscrição de vários estudantes.

“Até agora, as direcções das escolas não começaram a passar certificados e vemos a aflição de muitos pais com medo dos filhos ficarem de fora do sistema de ensino”, afirma Teixeira que denuncia o facto de alunos serem forçados a pagar de três mil e quinhentos kwanzas a dez mil kwanzas para poderem matricular-se.

“Vai proporcionando corrupção porque até seguranças e senhoras de limpezas conseguem facilitar certificados e os estudantes pagam com medo de ficar de fora, acrescenta aquele responsável.

A VOA tentou falar com o Ministério da Educação e a Delegação Provincial de Educação em Luanda, mas sem sucesso.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.